Não podemos ficar

sem respirar no coração
da Amazônia!

 
#respiraxingu    #xingucontracovid    #xingudoladodavida

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

A região da Transamazônica e Xingu*, no estado do Pará, apresenta neste momento índices alarmantes de infecção e morte por COVID-19 comparáveis com os atingidos no pico da pandemia em 2020 e que, caso ignorados, devem levar ao colapso do sistema de saúde. Em Altamira já são mais de 7 mil casos e 145 mortes confirmadas. Em toda a região, a soma supera 300 mortes, e os números não param de aumentar.

 

Segundo as Secretarias Municipais de Saúde, a incidência acumulada de casos no Xingu supera a média do estado do Pará, e é também maior do que a média no Brasil. Altamira, município referência para o atendimento de uma população estimada de 354 mil pessoas**, conta com apenas dois hospitais, e só um deles trata casos de alta complexidade. A cidade ainda recebe indígenas e ribeirinhos de 11 Terras Indígenas e 7 Unidades de Conservação. 

 

Para piorar, nota-se um número cada vez maior de eventos nas ruas, comércios abertos e uma incapacidade do poder público de conter as aglomerações. Mas o isolamento social efetivo continua sendo a única maneira de evitar a propagação da doença, que não tem tratamento precoce e nem remédios que proporcionam a cura. A vacina, segura e eficaz, já chegou ao Xingu para parte dos indígenas e profissionais de saúde na linha de frente do combate à COVID-19. Só haverá imunização, porém, quando toda a população for vacinada. Não há previsão de que isso aconteça rapidamente.

 

Além disso, as feridas abertas na região desde o início da construção da Usina de Belo Monte, com inúmeras violações aos direitos das populações locais e ao meio ambiente, ainda não cicatrizaram. Altamira passou a constar, desde então, entre os municípios mais violentos do país, cenário que se agrava com o avanço da COVID-19. A pandemia descontrolada não pode abrir mais uma chaga. 

 

Não ficaremos parados enquanto vemos o horror se instalar. Não podemos seguir o exemplo de outras cidades onde, infelizmente, a doença tem matado por falta de oxigênio na rede hospitalar. Não podemos ficar sem respirar no coração da Amazônia. Por isso, criamos a campanha Respira Xingu com o intuito de reunir diferentes vozes, propostas e doações, atuando em cinco frentes. É urgente mobilizar a sociedade e pressionar o poder público a cumprir sua obrigação constitucional de garantir acesso à saúde e a cumprir imediatamente os protocolos para casos de pandemia determinados pela Organização Mundial da Saúde. Do contrário, será responsável e responsabilizado por mortes que seriam evitáveis. Respira Xingu!

* Engloba as cidades de Altamira, Anapu, Brasil Novo, Medicilândia, Pacajá, Porto de Moz, Senador José Porfírio, Uruará e Vitória do Xingu.
 

** Segundo dados do IBGE, as nove cidades que compõem o médio Xingu somam 353.943 habitantes. Porém, esse número não considera fluxos migratórios recentes que elevaram a quantidade de pessoas vivendo na região.

Assinam este manifesto:

Faça parte da campanha!
Você faz parte de alguma associação com potencial para atuar e articular localmente na região da Transamazônica e Xingu? Assine este manifesto e participe.
apoie a campanha
Pessoas e instituições que amam o Xingu também podem apoiar nossa causa pela vida. Assine e seja uma das vozes desta campanha.

Manifesto

 
 

frentes de atuação

 

01. Educação

 

Distanciamento social, uso de máscara e constante higienização das mãos continuam sendo a única maneira de evitar a propagação do vírus. Criamos materiais para conscientizar a população de que essas medidas são efetivas e necessárias.
 

 

02. responsabilização

 

A Prefeitura de Altamira precisa tomar ações urgentes para evitar as aglomerações que têm acontecido na cidade, suspender eventos e colocar regras claras para o funcionamento dos estabelecimentos com atividades essenciais, além de fechar o que não é essencial – medida necessária para que novas mortes sejam evitadas.
 

 

03. informação

 

A informação é fundamental e ela não tem chegado de maneira clara para a população. Com o apoio de profissionais da saúde, vamos divulgar boletins semanais com os dados unificados da região.
 

 

04. arrecadação

 

Faltam insumos nos hospitais e várias famílias da região estão em grave situação de vulnerabilidade. Vamos atuar na divulgação, organização e distribuição de doações.
 

 

05. memória

 

Os mortos por COVID-19 não são números, eram nossos amigos, familiares, colegas de escola, vizinhos. Tinham afetos, amores e sonhos. Aqui, honraremos suas histórias.

 

divulgue

Ajude a espalhar nossa mensagem. Acesse todos os materiais de comunicação e divulgue a campanha Respira Xingu em suas redes.

cartilha-xingu.jpg
materiais-xingu.jpg
 

boletim Covid-19 xingu*

* Altamira, Anapu, Brasil Novo, Medicilândia, Pacajá, Porto de Moz, Sen. J. Porfírio, Uruará e Vitória do Xingu
Última atualização em 18 de março às 22h

Casos nas últimas 24h:

159

Óbitos nas últimas 24h:

01

Taxa de ocupação do HRPT**:

97%

Casos acumulados:

20.958

Óbitos acumulados:

409

** Leitos clínicos e de UTIs dedicados ao tratamento da COVID-19 no Hospital Regional Público da Transamazônica
Fontes: Secretarias Municipais de Saúde do Médio Xingu / Secretaria de Estado da Saúde do Pará.
Casos e óbitos por data da confirmação
Dados diários consolidados pelo Grupo de Monitoramento Epidemiológico da COVID-19 da Faculdade de Medicina da UFPA, Campus Altamira
 

colabore

Semanalmente, iremos divulgar neste espaço as necessidades da nossa região. Respira Xingu se compromete a fazer a ponte entre o doador e quem receberá a doação.

Do que precisamos agora:

500 cestas básicas

Destinadas a famílias em situação de vulnerabilidade econômica

Produção de 300 camisetas, 10.000 adesivos, 500 cartazes, 50 outdoors e 500 horas de carro e moto de som para divulgação de mensagens da campanha

01 usina de oxigênio

Usina de Oxigênio com capacidade de 50m³/hora

divulgação

1. Doações financeiras nacionais:

Duas associações signatárias da campanha Respira Xingu se disponibilizaram a receber doações financeiras, fazer gestão desses recursos e prestar contas neste canal. São elas:

Coletivo de mulheres do xingu


@coletivodemulheresdoxingu

terraaguasflorestassustentaveis

Organização sem fins lucrativos que luta por políticas públicas e sociais de defesa e promoção dos direitos de meninas e mulheres negras, indígenas, ribeirinhas e urbanas da região da Transamazônica e Xingu. Sediada em Altamira-PA.

Coletivo de Mulheres do Xingu
CNPJ: 36.933.302/0001-60

Caixa Econômica Federal

AG: 0551 003  |  CC: 3216-7

PIX: 36.933.302/0001-60 (CNPJ)

coletivodemulheresdoxingu@gmail.com

Associação de Moradores da Resex do Rio Iriri: AMORERI

 

@vemdoxingu

Sem fins lucrativos e com sede em Altamira-PA, a Associação de Moradores da Reserva Extrativista do Rio Iriri coordena uma rede de 15 grupos indígenas, ribeirinhos e da agricultura familiar denominada "Rede de Cantinas da Terra do Meio", e detém a marca "Vem do Xingu". Além de valorizar a produção desses povos, há mobilização por direitos. O combate à COVID-19 tem sido atividade central desde o início da pandemia.

Associação dos Moradores da Resex Rio Iriri - Amoreri

CNPJ: 08.395.946/0001-06

Caixa Economica Federal 
AG: 0551  |  Conta Poupança: 6075-3

amorerifinanceiro@gmail.com

2. Doações financeiras internacionais:

Para doações internacionais, clique no link abaixo e faça uma doação única para a organização Heath in Harmony (Saúde em Harmonia) e identifique no campo "notes"  a campanha com o texto "Respira Xingu".

100% dos recursos serão transferidos para as organizações responsáveis pela gestão financeira da campanha no Brasil.

 

Comitê de coordenação 

A campanha Respira Xingu é coordenada por uma comissão executiva formada pelas seguintes pessoas:
Antônia Pereira Martins
Coordenadora da Fundação Viver Produzir e Preservar
Daniela Soares da Silva
Secretária Executiva do Coletivo de Mulheres do Xingu
Dorismeire Almeida de Vasconcelos
Articuladora da Rede Eclesiástica Pan Amazônica -  REPAM Xingu
Fabiano de Oliveira Vitoriano Pereira
Coordenador Geral do SINTEPP subsede Altamira
Francinaldo Lima
Assessor técnico da Associação de Moradores da Reserva Extrativistas do Rio Iriri - AMORERI
Juma Xipaya
Diretora da Associação dos Povos Indígenas Estudantes na Universidade Federal do Pará, Campus Altamira (APYEUFPA)

Marcelo Salazar
Coordenador Executivo da organização Saúde em Harmonia

Roberto Rezende
Coordenador adjunto do programa Xingu do Instituto Socioambiental (ISA)

Comitê técnico de Saúde 

Profissionais da saúde que amparam as demandas técnicas da campanha:
Dra. Erika Pellegrino
Médica Psiquiatra, Coordenadora de Saúde da Organização Saúde em Harmonia e professora da Faculdade de Medicina da UFPA
Dra. Diana Albuquerque Sato
Médica Pediatra e Neonatologista, professora da Faculdade de Medicina da UFPA
Enf. Lagerson Mauad Freitas
Enfermeiro técnico da Divisão de Saúde da Secretaria de Saúde de Altamira-PA
Enf. Osvaldo Damasceno
Regional de Saúde da Secretaria Estadual de Saúde (10a CRS SESPA)
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

#respiraxingu     #xingucontracovid     #xingudoladodavida

Contact: respiraxingu@gmail.com